Anime Friends – 2017

A equipe do Invader, representada pelos membros convidados Clara Santos e Vitor Navarausckas, esteve no Anime Friends 2017 e traz aqui suas impressões sobre o evento.

O Anime Friends, organizado pela Yamato Cultural, chegou a sua 15ª edição! O evento ocorreu entre os dias 7 e 9 de julho no Transamerica Expo Center em São Paulo, e contaremos um pouco sobre o evento e nossas experiências durante dois dias nele.

Quem é das antigas lembra que o Anime Friends começou lá em 2003 em um colégio particular de São Paulo e, de lá para cá, passou por muitos locais até finalmente chegar ao Transamerica Expo Center. Já havíamos ido à outras edições do evento, então fomos psicologicamente preparados para o famoso “encoxa friends”, yakisoba oleoso e desorganização. No entanto, fomos surpreendidos positivamente por um Anime Friends mais organizado comparado aos últimos (saudades Mart Center). Houve alguns contratempos, claro, mas desta vez o evento mostrou potencial.

No quesito infraestrutura, ponto positivo! O evento foi espalhado em 4 halls do centro de convenções. Havia ventilação (a galera agradece), um piso carpetado confortável (os pés agradecem) e também uma praça de alimentação decente (depois de muitos Anime Friends comendo no chão e em busca de uma sombra) com diferentes opções de lanches que variavam de R$ 7,00 a R$ 35,00 para o pessoal poder recuperar a XP.

Entretanto temos que ressaltar a falta de opções para doces – o melhor jeito de repor uma glicose necessária para um dia inteiro de evento – a não ser que você prefira se sustentar de Mupy que, como não poderia faltar, tinha um espaço próprio. E, claro, as filas quilométricas para os banheiros que, embora fossem em um número razoável, não comportaram o volume de usuários.

A distribuição dos stands também foi bola cheia no evento, pois contavam com uma área bem delimitada e ampla para atuarem com alguns stands mais deslocados. Mas nem tudo são flores e, neste espaço, tivemos a nossa famigerada e marca registrada (ainda) do evento: sessão “encoxa friends”, principalmente no domingo quando ocorre o maior número de visitantes. Mas ainda assim bem mais tranquilo que nos anos anteriores.

A área de games lotou no sábado e domingo e o pessoal pôde jogar Crash Bandicoot no stand da Sony. Para os saudosistas havia também um Atari para poder matar a saudade. No stand da Bandai Namco havia a demonstração do novo game Dragon Ball Fighter Z para jogar no Xbox One, além de jogos da série Gundam. Os demais stands vendiam diferentes tipos de Figure Arts, mangás, chaveiros, colares, camisetas e itens nerds. Impossível não passar por algum e não querer algo. Para os fãs de Harry Potter havia lojas vendendo varinhas e itens para cosplay e, falando em cosplay, o pessoal como sempre se diverte e vai como manda o figurino!

Os fãs de tokusatsu também não ficaram de fora e havia um stand com armaduras de diferentes tokusatsus em exposição, criados pelas equipes Lendários Cosmaker BR e Tokusatsu.com.br, além da presença de Takumi Tsutsui, o eterno Jiraya. Durante sua entrevista no sábado, Tsutsui-san demonstrou grande simpatia com o público e revelou ser um ninja de verdade! *.* As palestras de dublagem foram um show à parte, contando com grandes nomes da dublagem brasileira como Marco Ribeiro, Guilherme Briggs e muitos outros (assunto para outro tópico xD).

Neste ano, o Anime Friends trouxe as bandas japonesas Asian Kung-Fu Generation e TM Revolution (se você já assistiu Naruto e Samurai X com certeza já ouviu Haruka Kanata e Heart of Sword :P). As fãs de Kpop também piraram com a banda idol BLANC7 no sábado e nossos ouvidos que o digam. E falando em Kpop e fãs, isso nos leva a citar outro ponto negativo do evento: a proximidade da área Meet & Greet com o palco (batizado de auditório) utilizado para entrevistas de outros artistas. Não estou criticando a gritaria das fãs, porque afinal quem nunca? Mas a organização deveria ter colocado o Meet & Greet mais afastado do palco, já que este nem foi utilizado pela banda coreana. Além disso, enquanto ocorria a sessão de autógrafos, simultaneamente no palco ao lado ocorria a entrevista com Takumi Tsutsui (Jiraiya) e obviamente ninguém ouvia a entrevista direito e, assim, seguiu-se com as demais palestras até o fim do Meet & Greet.

Temos que dar o ponto positivo tanto à Tsutsui quanto aos palestrantes seguintes que souberam contornar este problema e descontraírem um pouco quem assistia ao imitarem as fãs (Tsutsui) ou ao trazerem como se fossem para si os gritos de adoração (equipe JBC), porém como já mencionado o barulho da proximidade das áreas somado a um visível problema no som de alguns dos microfones diminuíram o poder dessa experiência.

Os palcos Animekê e Fantasy também estavam muito próximos, ocorrendo ruídos durante as apresentações em ambos os palcos. No palco Fantasy para não atrapalhar as apresentações de cosplay (final brasileira do WCS) e teatro (a batalha das doze casas realizada pelo Grupo Comix), o som foi colocado no volume máximo, estourando alguns tímpanos de quem assistia, proporcionando dores de cabeça e aumentando o cansaço já acumulado do dia >_<

Resumo da ópera: acabamos vendo uma melhora gritante do evento depois de muitos anos de frustração e arrependimento por ter pago por ingressos que só aumentavam o valor, mas a qualidade diminuía. No novo espaço, o evento possui muita capacidade de melhorar ainda mais, desde que estejam com vontade disso. Fica uma sensação de um bom evento na boca, uma sensação de que o preço do ingresso, somado aos custos com alimentação e estacionamento (bem salgado por sinal) ainda valem um pouco à pena desde que você aproveite 80% pelo menos das atrações propostas. O maior problema é que, como sabemos, todos os valores serão maiores no ano que vêm, cabe saber se a Yamato vai fazer valer à pena novamente.

Vejas as fotos do evento na nossa página do Facebook pelo linkhttps://www.facebook.com/pg/canalinvader/photos/?tab=album&album_id=1966960896872188

 

Compartilhe este post:

Derek Moraes

Cinéfilo de carteirinha. Nerd de plantão para preencher as mentes ávidas por informações e conhecimento. Especialista em transformar simples conversas em viagens a Hogwarts, Terra Média, Westeros e uma galáxia muito, muito distante.